segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Idioma estrangeiro na ponta da língua no 1º dia



Idioma estrangeiro na ponta da língua no 1º dia

João Paulo Santos


Aprender um novo idioma entrou para a lista das habilidades a desenvolver para quem quer sair bem no mercado de trabalho. Em tempos de globalização e ferramentas de interação, o inglês voltou a ocupar o primeiro lugar na preferência de quem investe em educação, com o objetivo de aumentar as oportunidades na carreira. Para a grande maioria dos alunos, os cursos de idiomas são realizados aqui mesmo, no Brasil. A dúvida está na hora de escolher o método e a melhor escola.
O primeiro passo é conhecer a unidade, os professores e o material didático; se possível, conversar com outros alunos. Na própria escola, o cliente vai poder perguntar sobre a metodologia, a carga horária e a composição das turmas. “Nós temos turmas reduzidas e as aulas são no idioma estrangeiro, desde o primeiro dia. Aos poucos os alunos se familiarizam com a língua sem traduzí-la, assim como aprendemos nossa língua materna”, explica Cássia Rita Conejo, sócia-proprietária do CCAA.
Uma das alunas de Cássia ligou para contar o resultado do curso, antes mesmo de chegar ao nível avançado de inglês. Ela embarcou com outros executivos da empresa em que trabalha para a China. “O trabalho dela é na área de Comércio Internacional e poder negociar com os clientes estrangeiros foi uma vitória”, afirma Cássia.
Diferente do que as pessoas imaginam, o nível de conhecimento avançado não é exigido para todas as áreas. Depois de passar pela fase de aprendizagem inicial, o aluno já tem condições de ler, entender o idioma e conversar, mesmo que com um vocabulário básico. Aos poucos, as habilidades são aprimoradas e este aluno irá se tornar cada vez mais independente. “É muito importante que os alunos aprendam com situações do cotidiano”, enfatiza Cássia.
O método que o CCAA adota é orientado para simular situações reais como atender o telefone, fazer compras, entender um endereço, entre outros. “O aluno aprende como se comportar e pratica até perder o receio de se comunicar no idioma ”, diz.
Cultura
Além de aprender a língua estrangeira, os alunos podem aproveitar o conhecimento que adquirem sobre os hábitos e costumes do país de origem daquele idioma. Nas escolas especializadas - conforme o nível de conhecimento - os alunos assistem noticiários, filmes, seriados; aprendem expressões do idioma em comerciais, revistas, jornais e livros, sem mencionar a internet.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Thanksgiving day


Thanksgiving Day in America is a time to offer thanks, of family gatherings and holiday meals. A time of turkeys, stuffing, and pumpkin pie. A time for Indian corn, holiday parades and giant balloons.
Thanksgiving is celebrated on the 4th Thursday of November, which this year (2009) is November 26th.

The History of Thanksgiving

Throughout history mankind has celebrated the bountiful harvest with thanksgiving ceremonies.
Before the establishment of formal religions many ancient farmers believed that their crops contained spirits which caused the crops to grow and die. Many believed that these spirits would be released when the crops were harvested and they had to be destroyed or they would take revenge on the farmers who harvested them. Some of the harvest festivals celebrated the defeat of these spirits.
Harvest festivals and thanksgiving celebrations were held by the ancient Greeks, the Romans, the Hebrews, the Chinese, and the Egyptians.

Thanksgiving in The United States

In 1621, after a hard and devastating first year in the New World the Pilgrim's fall harvest was very successful and plentiful. There was corn, fruits, vegetables, along with fish which was packed in
salt, and meat that was smoke cured over fires. They found they had enough food to put away for the winter.
The Pilgrims had beaten the odds. They built homes in the wilderness, they raised enough crops to keep them alive during the long coming winter, and they were at peace with their Indian neighbors. Their Governor, William Bradford, proclaimed a day of thanksgiving that was to be shared by all the colonists and the neighboring Native American Indians.
The custom of an annually celebrated thanksgiving, held after the harvest, continued through the years. During the American Revolution (late 1770's) a day of national thanksgiving was suggested by the Continental Congress.
In 1817
New York State adopted Thanksgiving Day as an annual custom. By the middle of the 19th century many other states also celebrated a Thanksgiving Day. In 1863 President Abraham Lincoln appointed a national day of thanksgiving. Since then each president has issued a Thanksgiving Day proclamation, usually designating the fourth Thursday of each November as the holiday.

Dictionary Entries:
o Gatherings (to gather) – verb - when people or animals gather, they come together in a group.
o Stuffing (to stuff) – verb - to completely fill a container with something; (informal) to push something into a small space, often quickly or in a careless way; to fill the body of a dead animal with special material so that it looks as if it is still alive.
o Bountiful – adjective - large in amount; generous in giving to others.
o Harvest – noun - the time of year when crops are cut and collected from the fields, or the activity of cutting and collecting them, or the crops which are cut and collected.
o Establishment – noun - the process of starting or creating something, for example an organization.
o Crops – noun - (the total amount collected of) a plant such as a grain, fruit or vegetable grown in large amounts
o Devastating (to devastate) – verb - to destroy a place or thing completely or cause great damage.
o Devastating – adjective- causing a lot of damage or destruction.
o Wilderness – noun - an area of land that has not been used to grow crops or had towns and roads built on it, especially because it is difficult to live in as a result of its extremely cold or hot weather or bad earth; an outside area in which plants are left to grow naturally or untidily.
o Raised (to raise) – verb - to take care of a person, or an animal or plant, until they are completely grown.
o Issued (to issue) – verb - to produce or provide something official.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Copa do Mundo, Olimpíadas, hora de aprender idiomas



Copa do Mundo, Olimpíadas, hora de aprender idiomas
Marcelo Reis


Nos próximos sete anos o mercado de trabalho vai ganhar milhares de novas oportunidades de emprego em função dos grandes eventos internacionais que acontecerão no país e, mais especificamente, no Rio de Janeiro. A Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016 abrirão inúmeras vagas de trabalho, principalmente no setor de serviços e no comércio. Todas terão em comum uma exigência: saber outros idiomas.
Por isso, é hora de começar a aprender e aprimorar, especialmente o inglês e o espanhol. A headhunter Jacqueline Resch, da Resch Consultoria, conta que muita gente ainda perde oportunidades de trabalho por não saber inglês. Mesmo nos cargos mais elevados, onde saber inglês é quase uma obrigação, boa parte dos executivos ainda não estão qualificados.
O diretor do Plan Idiomas, Faust Maurer, diz que 90% dos profissionais que procuram o curso o fazem quando perdem seus empregos ou uma promoção por não saber inglês.
"O brasileiro tem o hábito de não se planejar. Mas como inglês não se aprende da noite para o dia, é melhor começar desde já", ensina Faust.
Um dos exemplos vem da Fetranspor, que junto com o Plan Idiomas, já implantou um programa para capacitar os trabalhadores do setor de transportes a receber melhor o turista estrangeiro até a Copa.
Segundo levantamento do Núcleo de Estudos e Pesquisas do Instituto Imprendere junto a empresas de RH, 80% das vagas que serão abertas em função dos eventos, exigirão inglês.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Inglês fluente ainda é barreira para a contratação de profissionais de TI



Inglês fluente ainda é barreira para a contratação de profissionais de TI

Como língua dominante nos negócios em todo o mundo, o inglês, há muito tempo, deixou de ser mera opção para se tornar fundamental a todo profissional que pense em seguir carreira. Mas, em uma área específica, a necessidade de profissionais fluentes em inglês é ainda maior: a de Tecnologia da Informação. No Brasil, muitas empresas de software prestam serviços a outros países, já que o Brasil é o segundo país que mais oferece profissionais qualificados para o setor. O inglês é essencial para completar a capacitação técnica do profissional e torná-lo apto para trabalhar e se relacionar com pares, fornecedores e clientes estrangeiros. Além disso, os melhores livros, as linguagens de programação, as documentações técnicas e os fóruns de discussão costumam ser todos redigidos em língua inglesa.“Pensando em estratégia para o Brasil, é muito importante que nossos profissionais falem inglês com fluência. Esta capacitação pode ser um atrativo a mais para empresas multinacionais investirem no País. A Índia está à frente nesta concorrência, pois, além de possuir profissionais excelentes, eles têm o inglês como segundo idioma, uma vantagem competitiva”, afirma Lígia Velozo Crispino, sócia-diretora da Companhia de Idiomas.“Os profissionais do setor de Tecnologia têm grandes oportunidades para trabalhar em projetos para o mercado externo, o que exige um bom domínio do inglês. Eles precisam redigir e responder e-mails em inglês, participar de chats, falar ao telefone etc. Por isso, o curso focado especialmente nas atividades que ele precisa desempenhar, ou que tem mais dificuldade, pode ser uma ótima opção para desenvolver a fluência no idioma”, comenta a diretora.“As empresas têm dificuldade de encontrar profissionais fluentes. Muitas vezes, acabam contratando pessoas de outras áreas, mas com inglês fluente, para desempenhar algumas funções de atendimento ao cliente”, revela Lígia.De acordo com a empresa, as avaliações realizadas com profissionais do setor que atuam na parte operacional revelaram que a maioria tem domínio básico do idioma, ou seja, consegue ler manuais, mas fala pouco. Já profissionais que desempenham cargos de liderança costumam ter níveis de inglês mais avançados.A diretora revela ainda que vocabulário e um bom nível de compreensão escrita são imprescindíveis para exames de processos seletivos de grandes empresas internacionais, como Microsoft, Sun, Linux e Cisco. “O diferencial é usar o inglês na comunicação oral, principalmente ao telefone e em conference calls”, ressalta Lígia. As empresas precisam que o profissional possa explicar processos, redes, aplicativos e aplicações em inglês. Também é necessário que o profissional seja capaz de apresentar soluções de TI, formal ou informalmente, com foco nos benefícios e valor agregado que o sistema traz. A participação ativa em reuniões em inglês, assim como negociações sobre programas com chefes de equipe e clientes também são importantes.


terça-feira, 17 de novembro de 2009

Halloween no CCAA Barra da Tijuca

Veja como as duas unidades do CCAA Barra da Tijuca comemoraram o Halloween em 2009.

É só clicar no link abaixo e conferir!

http://s878.photobucket.com/albums/ab350/marketingccaabarradatijuca/?albumview=slideshow

CCAA Barra da Tijuca e Marcha Mundial pela PAZ

O CCAA Barra da Tijuca fez sua adesão à Marcha Mundial.

No dia 18 de dezembro a Marcha chegará no Rio de Janeiro. Conheça um pouco mais sobre a Marcha visitando o site www.marchamundial.org.br

As reuniões do comitê Rio de Janeiro da Marcha, acontecem todas as quintas-feiras, às 14h, no auditório do CCAA Barra da Tijuca, unidade Marapendi. Participe das reuniões!

Veja também quem já aderiu à Marcha assistindo o vídeo abaixo.





video

segunda-feira, 16 de novembro de 2009



Inglês o idioma do sucesso
16/11/2009 Sandra Luiza Da Silva

Está ficando cada vez mais difícil conseguir um bom emprego sabemos que o mercado de trabalho está muito exigente devido as demandas. Então falar outro idioma hoje é necessário, principalmente o Inglês.
Não adianta enrolar, dar pausas, pois as entrevistas são oralmente e na escrita, ou seja, as pessoas têm que estar preparadas para o primeiro passo da contratação.
Segundo as pesquisas dadas pelos telejornais, um profissional que não domina a língua Inglesa está considerado semialfabetizado no mercado.
Hoje existem várias maneiras para aprender um novo idioma, os centros de línguas, estão cada vez se adaptando aos alunos, ou seja, oferecendo horários compatíveis e matérias de estudos eficazes como: CD ROM, aulas online entre outros.
Enfim, mesmo sabendo que os cursos de Inglês têm um valor um pouco elevado, vale a pena falar outro idioma, assim podendo garantir um futuro de sucesso na carreira profissional.

Rematrícula Antecipada



Se você já é aluno(a) CCAA Barra da Tijuca, procure a unidade onde você estuda e aproveite nossa promoção Rematrícula Antecipada. Incentivos diferenciados, de acordo com a data escolhida por você para se rematricular. Quanto antes, maior o incentivo. Aproveite esta oportunidade!
Se você ainda não é nosso(a) aluno(a), procure-nos para assistir duas aulas experimentais e entender porque no CCAA você aprende e nunca mais esquece.
Aguardamos vocês!

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Buscando o ouro em Inglês e Espanhol



2016 – Buscando o ouro em inglês e espanhol

por José Lyra Szajnberg, gestor das franquias CCAA Largo do Bicão e Vila Valqueire
08/10/2009
Rio 2016


Com a realização da Olimpíada no Rio de Janeiro, em 2016, a busca pelo domínio de inglês e espanhol ganha ainda mais relevância. Além de todos os benefícios já conhecidos, que duram por toda a vida, aqueles que estiverem preparados terão inúmeras oportunidades para atuar, direta ou indiretamente, durante os Jogos.
Na construção da infra-estrutura dos Jogos Olímpicos de 2016, a cidade receberá, nos próximos anos, investimentos da ordem de US$50 bilhões. Boa parte desse valor virá de empresas e investidores estrangeiros, o que vai requerer, de nós, brasileiros, capacidade de comunicação, principalmente em inglês espanhol.
Os empresários do setor de turismo no Rio de Janeiro projetam um crescimento de 10% no fluxo de turistas estrangeiros em visita à Cidade Maravilhosa já em 2010. Esse porcentual tende a crescer a cada ano, o que demonstra que, para nós, 2016 começa agora. Quem se preparar vai estar em condições de aproveitar as melhores oportunidades que serão geradas antes, durante e depois dos Jogos Olímpicos.
Com o aumento da procura por cursos de inglês e espanhol, tornam-se ainda mais relevantes os critérios de escolha. O ensino de um idioma estrangeiro requer a aplicação de um método que leve o aluno a aprender de forma natural, por associação, sem o uso de tradução, aproximando o processo de aquisição da língua estrangeira à forma pela qual ele aprendeu o português. Atividades que apurem a compreensão auditiva e estimulem a conversação, apoiadas por tecnologia apropriada, são fundamentais para que o aluno se comunique bem no novo idioma.
O consumidor deve fazer uma avaliação rigorosa antes da matrícula em um curso de idiomas. Vale a pena questionar: “como o curso demonstra se o aluno realmente aprende?”. Afinal, não dá para descobrir que se fez a escolha errada depois de investir tempo e dinheiro no processo de aprendizagem.
Somado à habitual simpatia do carioca e à beleza do Rio de Janeiro, o domínio de inglês e espanhol vai nos levar ao lugar mais alto do pódio em uma modalidade em que já somos craques: a hospitalidade. Vamos em busca do ouro olímpico!

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Por que aprender inglês?




O inglês é a língua nativa de doze países: Austrália, Bahamas, Barbados, Canadá, Estados Unidos (incluindo Porto Rico), Granada,Guiana, Inglaterra, Irlanda, Jamaica, Nova Zelândia e Trinidad. Além desses,outros 11 países têm o inglês como única língua oficial: Botsuana, Fiji, Gâmbia, Gana, Libéria, Maurício, Nigéria,Rodésia, Serra Leoa, Uganda e Zâmbia, e 14 países têm o inglês como sua segunda língua oficial:Camarões, Índia, Lesoto, Malui, Malta, Mamibia, Nauru, Filipinas, Singapura, África do Sul, Suazilândia, Tanzânia, Tonga e Samoa Ocidental. Ainda, segundo a mesma fonte, há 5 países onde a língua inglesa possui algum status oficial, Kênia, Malásia,Paquistão, Sri Lanka e Sudão. Como observamos, dos países citados, a Etiópia não foi anteriormente uma colônia de fala inglesa, e sim colônia de fala italiana, concluindo-se que todos os países que usam a língua inglesa para algum fim oficial estão ou estiveram dependentes da hegemonia política ou econômica de potências falantes do inglês.
Segundo Kachru (1983:20), o número de falantes de inglês como língua estrangeira e segunda língua é de mais de 400 milhões e o número de falantes nativos é de quase 300 milhões, somando um total de 700 milhões de falantes em todo o mundo, superando o número de australianos (15,8 milhões), canadenses (25,4 milhões), britânicos (56,4 milhões), americanos (238,9 milhões), e neozelandeses (3,3 milhões). Segundo Berlitz (1988:304), em muitos países não-falantes do inglês – Dinamarca, Suécia, Holanda, Suíça, Índia, Paquistão, Malásia e outros países da Ásia e da África – mais de 10% da população fala inglês. Na Alemanha e em algumas partes do mundo de língua espanhola, o número de pessoas que falam inglês está se aproximando de 10% da população.
Há uma busca crescente para aprender inglês que está se espalhando como uma epidemia por todo o planeta. Essa língua sem fronteiras está nos mais de 10.000 jornais do mundo, em mais de 80% dos trabalhos científicos e no jargão de inúmeras profissões.
O ensino de inglês virou uma verdadeira febre em grandes centros como São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte onde encontramos métodos cada vez mais eficientes e criativos. As razões em estudar o idioma vão desde fazer turismo, conseguir uma bolsa de estudo até assumir um cargo superior de uma empresa. Além de outras possibilidades como uma forma de ascensão social ou mesmo de aquisição cultural.
É comum haver publicações brasileiras com nomes americanos como: Interview, Executive News (revista da Varig), Boletim News (boletim informativo mensal do Fluminense Football Club do Rio de Janeiro) e a publicação de artigos em inglês em revistas editadas no Brasil pela comunidade científica.
Aprender a língua inglesa hoje é muito importante e necessário, não pode ser ignorada, pois ela está entre nós como um produto de alto valor e para conseguirmos aperfeiçoar qualquer atividade profissional, devemos saber falar inglês.
Por Edvan Salum Cardoso